MAIS UMA CRIANÇA É VÍTIMA DE BALA PERDIDA NO RIO DE JANEIRO

Postado por Anderson Oliveira, 31 de Março 2017


Maria Eduarda foi morta, na tarde desta quinta-feira, dentro do Colégio Daniel Piza, em Acari, na Zona Norte do Rio. De acordo com a Polícia Militar, a estudante foi atingida por um disparo durante um confronto entre suspeitos e militares no Complexo da Pedreira, perto do Rio Acari. A vítima, que era do 7º ano, estava na aula de Educação Física quando foi baleada.


CRIANÇAS VÍTIMAS DE BALA PERDIDA NO RIO DE JANEIRO (2007-2017)

2007
1. Alana: 12 anos. Morta no dia 5 de março de 2007 num tiroteio entre policiais e traficantes no morro dos Macacos, em Vila Isabel.
2. Hugo Ronca Cavalcanti. 12 anos. Morto no dia 8/12/07 por bala perdida que atingiu sua cabeça enquanto jogava bola no Clube Federal, no Leblon.
3. Fabiana: 11 anos. Morta dentro de casa, vítima de bala perdida, numa operação policial no Morro dos Telégrafos, no dia 15 de dezembro de 2007.

2008
4. Ramon: 6 anos. Morto no dia 30 de junho de 2008, com um tiro na cabeça, enquanto aguardava o pai na porta de casa, num tiroteio entre policiais do 9º BPM e traficantes na favela do Muquiço, em Guadalupe.
5. João Roberto: 3 anos. Morto no dia 6 de julho de 2008, quando se encontrava no banco de trás do carro da mãe, que foi metralhado por policiais militares que perseguiam bandidos na Tijuca.

2010
6. Wesley: 11 anos. Vítima de bala perdida, no dia 19 de julho de 2010, que o atingiu no peito dentro de sala de aula no CIEP Rubens Gomes, em Barros Filho. A operação foi comandada pelo 9º BPM.

2011
7. Juan: 11 anos. Morto numa operação do 20º BPM (Mesquita) no dia 20 de junho de 2011 na Favela Danon, em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense.
8. Juliana Rodrigues. 6 anos de idade. Morta em setembro de 2011, por uma bala perdida durante tiroteio entre policiais e criminosos no Caju, na zona portuária do Rio de Janeiro.

2012
9. Bruna: 10 anos. Morta no dia 27/7/2012 durante uma operação policial no Morro da Quitandinha, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio.
10. Yasmin de Moura Camilo: 4 anos. No dia 19/08/12 brincava em um parquinho da comunidade Terra Nostra, em Costa Barros, quando foi atingida por uma bala perdida durante confronto entre policiais e supostos bandidos.

2013
11. Adrielly dos Santos. 10 anos. Atingida na cabeça por uma bala perdida na noite de Natal (24/12/12), em Piedade, no Subúrbio do Rio, vindo a falecer na tarde do dia 4 de janeiro de 2013.

2014
12. Lucas Farias Canuto. 13 anos. Estava na localidade conhecida como Reta dos Barracos, no Caratê, na Cidade de Deus, quando foi atingido no peito, por volta das 14h do dia 15/06/14. No momento, ocorria uma troca de tiros entre traficantes e policiais da UPP.
13. Luís Felipe Rangel Bento. 3 anos. Morto na manhã do dia 25/06/14, no Morro da Quitanda, em Costa Barros, na Zona Norte, vítima de uma bala perdida, enquanto dormia, numa troca de tiro entre traficantes e policias.

2015
14. Patrick Ferreira de Queiroz. 12 anos. Morto no dia 15/01/15 durante confronto entre bandidos e policiais da UPP Camarista Méier.
15. Larissa de Carvalho. 4 anos. Vítima de uma bala perdida, que atingiu sua cabeça, no 17 de janeiro de 2015, em Bangu. 16. Asafe William Costa de Ibrahim: 9 anos. Morto no dia 18 de janeiro de 2015, após ser atingido por uma bala perdida em Honório Gurguel.
17. Eduardo de Jesus Ferreira. 10 anos. Morto no dia 2 de abril de 2015, após ser atingido na cabeça por uma bala perdida, no Complexo do Alemão.
18. Christian Soares Andrade. 13 anos. Foi morto no dia 8 de setembro de 2015 em troca de tiros durante operação policial em Manguinhos.
19. Herinaldo Vinícius de Santana. 11 anos. Morto com um tiro no tórax, no dia 23 de setembro de 2015, na favela Parque Alegria, numa ronda feita pela Unidade de Polícia Pacificadora do Caju.
20. Ruan Bruno Gomes Nunes. 2 anos. Morreu após ser atingido por uma bala perdida na comunidade Metrô Mangueira, na Zona Norte, na madrugada de 12/12/15.

2016
21. Ana Beatriz Duarte de Sá. 5 anos. Morreu após ter ficado três dias internada em estado grave no Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), em São Gonçalo. Ela foi atingida por uma bala perdida enquanto brincava com outras crianças na varanda da casa de um tio, na Travessa Manoel Luiz de Souza, no Barro Vermelho, onde ocorria uma festa, em 6/3/16.
22. Taís de Souza Santos. 13 anos. Foi atingida na cabeça, no dia 5/1/16, durante o tiroteio entre policiais e traficantes que ainda atuam no Morro dos Prazeres, em Santa Teresa.
23. Caio Daniel Faria. 14 anos. Foi morto durante um tiroteio em Manguinhos na noite do dia 10/3/16. De acordo com a família, ele estava jogando bola quando ficou no fogo cruzado entre policiais e criminosos em uma localidade conhecida como Campo da Esperança. Ele foi atingido por um disparo na perna e outro no abdômen.
24. João Vitor Costa. 14 anos. Morreu no dia 13/3/16 após ser atingido na cabeça na noite do dia 12/3/16 enquanto brincava com os amigos na Rua Oscarino Maciel no bairro do Mutuaria. De acordo com moradores, na hora em que o garoto foi atingido havia uma operação policial acontecendo nas proximidades.
25. Ryan Gabriel . 4 anos. Baleado durante uma guerra entre traficantes rivais em Madureira, na Zona Norte do Rio, morto no dia 28/3/16. Ele estava internado no Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha, também na Zona Norte, desde a tarde de domingo, quando foi atingido por um tiro no peito enquanto brincava na porta da casa dos avós, no Morro do Cajueiro.
26. Matheus Santos de Morais. 5 anos. Morto por bala perdida, que atingiu a sua cabeça, enquanto brincava de bolinha de gude na frente da casa onde morava com a família, durante uma ação da PM na comunidade da Lagoa, em Magé, no dia 4 de abril de 2016.
27. Kamylli Coutinho dos Santos. 12 anos. Baleada na cabeça. Segundo testemunhas, três homens armados passaram atirando em direção a um grupo que fazia um churrasco, na rua Rural, em Nova Iguaçu, em frente a uma padaria, no dia 21 de abril de 2016. A menina chegou a ser levada para o hospital, mas morreu após dar entrada na emergência.
28. Miriam Martins dos Santos. 14 anos. Morreu ao ser atingida por uma bala perdida durante uma guerra entre traficantes no Morro do Juramento, em Vicente de Carvalho, na noite do dia 12 de maio de 2016. Atingida no peito, ela chegou a ser levada para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu.
29. Juan Rodrigues Morales Benitez. 1 ano. Morto com um tiro na cabeça na noite do dia 16 de maio de 2016, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio.
30. Shayene Santos. 14 anos. Morreu após ser vítima de uma bala perdida no Morro São Carlos, no Estácio, Região Central do Rio, no início da madrugada do dia 22/7/16. Estava subindo na garupa da moto de um amigo quando foi atingida na região da nuca, de acordo com relato de moradores. O crime ocorreu por volta das 0h30m, na localidade conhecida como Capela.

2017
31. Sofia Lara Braga. 2 anos. Vítima de bala perdida, que atingiu seus rosto, na noite deste sábado (21), quando brincava, na companhia do seu pai, policial militar do 16º Batalhão, num parque do Habib‘s, em Irajá, Zona Norte do Rio.
32. Fernanda Adriana Caparica Pinheiro. 7 anos. Estava brincando em casa, no Parque União, no conjunto de favelas da Maré, por volta das 20h desta quarta-feira (15), quando foi ferida. O tiro atingiu o tórax da criança, que chegou a ser socorrida e levada para o Hospital Federal de Bonsucesso, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
33. Maria Eduarda Alves da Conceição. 13 anos. Morta, na tarde desta quinta-feira, dentro do Colégio Daniel Piza, em Acari, na Zona Norte do Rio. De acordo com a Polícia Militar, a estudante foi atingida por um disparo durante um confronto entre suspeitos e militares no Complexo da Pedreira, perto do Rio Acari. A vítima, que era do 7º ano, estava na aula de Educação Física quando foi baleada.

"Nos últimos dois anos, 20 crianças tiveram o mesmo destino da Fernanda Adriana. Em geral, as vítimas são meninos e meninas pobres, moradores de favela, cujas vidas são interrompidas por força de confronto entre traficantes ou operações da polícia nas quais há troca de tiro entre policiais e bandidos. O lado mais triste da violência no Rio -a morte de crianças pobres-, demanda ação urgente por parte do poder público. A guerra às drogas, a disputa das facções criminosas por controle territorial e o tráfico de armas e munições são os principais responsáveis por essas tragédias".

Antônio Carlos Costa
Fundador da ONG Rio de Paz

Ps. Sabemos de dois casos cujas mortes não foram causadas por bala perdida:

34. Geovanna Vitória de Barros.* 1 ano. Morta na noite do dia 18 de janeiro de 2013 durante uma tentativa de assalto em Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

35. Ana Clara Quintanilha. 2 anos e 7 meses. Morreu durante uma perseguição policial em Bangu, na Zona Oeste do Rio, por volta das 22h do dia 7/8/16. Durante a perseguição, o carro que estava sendo perseguido perdeu o controle e bateu no carro da família da criança. Com o impacto da batida, a menina, que estava no colo da mãe, bateu a cabeça. Ela chegou a ser levada para o Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo, também na Zona Oeste, mas morreu antes de chegar.

FEED DE NOTÍCIAS

rio de paz

INSTAGRAM
SIGA O @RIODEPAZ

FACEBOOK


2017 Rio de Paz. All Rights Reserved ©
Design e conteúdo: Approach Comunicação Integrada / Desenvolvimento: InFront Informatização Empresarial
Endereço: Av. Ernani do Amaral Peixoto, nº 55 - Grupo 209 - Centro, Niterói/RJ. CEP. 24.020-070. E-mail: adm@riodepaz.org.br